Entrar
Comprar
Ativar Códigos

Livros Digitais

Sítio dos Miúdos

Professores

Alunos e Encarregados de Educação

Instituições

Neste Natal envia um postal

Na época natalícia é normal enviar os votos de boas festas ou as crianças fazerem pedidos ao Pai Natal. Contudo, parece um contrassenso sugerir aos mais pequenos que enviem um postal nos dias que correm. Talvez no imaginário daqueles que estão a crescer com os meios digitais, o Pai Natal já devesse preferir o Facebook, o Twitter ou até o Instagram às cartas ou postais.

LUÍS PEREIRA

Há várias razões para incentivar as crianças a usarem este meio. Em primeiro lugar, numa altura em que a comunicação é praticamente instantânea, é bom fazer a experiência de aguardar. Um carta ou postal demoram o seu tempo a chegar ao destinatário e mantém um certo suspense, se chega e quando. Para além disso, há vários aspetos que podem ser compreendidos. Por exemplo, para que serve o selo ou quais são os dados que devem ser incluídos numa morada para garantir que a carta chega ao destino desejado.

Os CTT, que incentivam o envio de cartas ao Pai Natal, justificam desta forma o porquê desta atividade: trata-se, frequentemente, da “primeira experiência das crianças na escrita de uma carta, um meio tradicional de comunicação que os meios eletrónicos acabaram por tornar mais pessoal e reservado para os momentos realmente importantes”.

Abaixo, pode encontrar três sugestões de atividades com postais (o postal pode ser enviado sem envelope – quando dentro de um envelope, costuma ser visto como carta) para fazer com as crianças.

História do postal. O postal surgiu no século XIX, havendo versões diferentes sobre como e onde terá surgido primeiramente. Vale a pena fazer algum levantamento sobre a sua história, a importância e as ocasiões em que se justifica enviar postais. Hoje, é ainda através destas formas que se mantêm algumas que não são imagens de cidades e outros locais que já não existem ou, pelo menos, como eram antigamente.

Enviar um postal ao Pai Natal. É sobretudo nesta época que mais se enviam postais. As crianças dirigem os seus pedidos ao Pai Natal sendo esperados este ano cerca de 170 mil, aos quais os correios garantem resposta individual. Os postais ou cartas de Natal são os únicos que não necessitam de selo e as crianças podem colocar um endereço à sua escolha, imaginando qual será a morada do Pai Natal.

Desenhar os seu próprio postal. Podem também ser enviados postais com votos de festas felizes para amigos e familiares. E uma forma de aumentar a criatividade é criar um postal personalizado. Pode começar com um desenho para depois ser digitalizado ou, então, desenhar diretamente no computador. Ao fazerem um postal, as crianças estão também a aprenderem sobre as várias secções deste meio. Para além disso, o destinatário ficará com uma mensagem enviada num suporte que se guarda com facilidade.

Em alguns vídeos disponíveis no YouTube, algumas experiências mostram a estranheza de crianças perante meios como o telefone fixo com disco para marcar os números, cassetes ou disquetes. Preservar a memória ajuda as crianças a compreender melhor a complexidade dos meios de comunicação à sua disposição. O envio de um postal pode ser uma atividade extremamente pedagógica e é certamente a garantia de que alguém irá receber um pedido ou os votos de boas festas muito especial.

Dúvidas?
To Top