Login

Comprar

Para alunos e pais

Para professores

Para instituições

Outros produtos, serviços e funcionalidades

Blogue EV e Webinars

Ajuda

A importância da alimentação no regresso às aulas

Setembro está a chegar e com ele chega também o regresso às aulas. Inicia-se uma nova rotina que pode ser utilizada para criar bons hábitos alimentares.

Já é bem conhecida a importância de hábitos alimentares saudáveis em crianças e jovens. Uma alimentação variada, equilibrada e completa é essencial para um bom desenvolvimento físico e intelectual. A alimentação pode afetar a saúde, o desempenho, o comportamento e a capacidade de concentração das crianças e jovens.

Pequeno-almoço no regresso às aulas

O pequeno-almoço é a primeira refeição do dia antes de iniciarem as aulas, e ainda existem muitas crianças e jovens que “saltam” esta refeição. Um bom pequeno-almoço é essencial para melhorar os níveis de concentração. Por isso, nunca deixe o seu filho ir para a escola sem tomar o pequeno-almoço.

Crianças que não tomam o pequeno-almoço apresentam maior sonolência, irritabilidade, falta de concentração, menor capacidade físico-cognitiva e consequentemente um pior desempenho escolar.

Se a criança não tem fome logo ao acordar, leve o seu pequeno-almoço para comer no caminho da escola ou quando lá chegar.

No pequeno-almoço deve incluir pão ou cereais derivados, lacticínios e fruta.

O que levar na lancheira?

Para muitos pais nem sempre é fácil preparar as lancheiras dos filhos, muitas vezes ficam sem ideias e, por vezes, os lanches tornam-se repetitivos, ou então acabam por optar por lanches menos saudáveis.

É importante incluir os seus filhos na preparação dos lanches, ouvir os seus gostos, deixá-los participar na escolha dos alimentos.

O que colocar na lancheira neste regresso às aulas:

  • Fruta da época (ameixas, pêssegos, figos, romã, etc.);
  • Leite simples meio gordo ou magro ou bebidas vegetais sem adição de açúcar;
  • Iogurte meio gordo ou magro;
  • Pão de centeio, integral, etc.;
  • Queijo fatiado, queijo fresco, requeijão;
  • Fiambre de aves;
  • Doce sem adição de açúcar;
  • Frutos secos oleaginosos ao natural;
  • Vegetais crus, como por exemplo palitos de cenoura;
  • Tortilhas de milho/arroz sem sal;
  • Ovo cozido;
  • Snacks de fruta desidratada sem adição de açúcar.

Não esquecer que todas as lancheiras devem ter sempre uma garrafa de água, para incentivar a beber água ao longo do dia para uma boa hidratação, aumentando a concentração e aprendizagem do seu filho.

Atualmente, as próprias escolas também já dispõem de opções mais saudáveis disponíveis nos bufetes dos seus estabelecimentos para proporcionar lanches saudáveis.

Os lanches que as crianças vão fazendo ao longo do dia também são muito importantes e desafiadores para os pais. Por isso, não se esqueça que uma apresentação atrativa, cores variadas e formas e texturas diferentes podem levar ao sucesso do lanche.

Ana Sousa

Licenciada em Ciências da Nutrição pelo Instituto Superior de Ciências do Norte, sendo Membro Efetivo da Ordem dos Nutricionistas com a Cédula profissional Nº2187N; Curso de Nutricoaching pelo Instituto de Nutricoaching; Pós-Graduação em Segurança Alimentar pela Universidade Católica do Porto.

Artigos relacionados

Roupa para o sol
Saúde e Bem-Estar

Roupa para o sol

Ricardo Jorge Silva

O sol e as crianças
Saúde e Bem-Estar

O sol e as crianças

Susana Carvalho

Orelhas Aladas
Saúde e Bem-Estar

Orelhas Aladas

Mariana Portela

Adenoides e amígdalas: quando operar?
Saúde e Bem-Estar

Adenoides e amígdalas: quando operar?

Lara Navarro

Voltar aos artigos
To Top

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.